segunda-feira, 28 de setembro de 2009

O gato

Os pelos eram pretos e lustrosos, os olhos amarelos e tinha uma coleira com uma medalhinha prateada, onde provavelmente estava gravado o nome dele. Eu nunca gostei muito de aminais de estimação, mas fui com a cara daquele gato.
Ele estava parado na porta de uma petshop. Eu o observava enquanto tomava café da manhã na padaria em frente, me chamou a atenção o fato dele estar, não apenas parado, mas completamente congelado. Nenhum músculo se mexia, nenhum pelo saia do lugar, os olhos amarelos fixos e imóveis. Nada o perturbava.
Cheguei a pensar que talvez ele fosse empalhado. Apesar de não compreender por que alguem gostaria de conviver com o cadáver do seu bichinho de estimação, tenho certeza de que existem pessoas que curtem a idéia.
Dava aflição, aquela paralisia era quase hipnótica, fiquei observando tentado pegar o movimento de uma respiração ou quem sabe o vento balançando os bigodes, qualquer coisa que denunciasse que o bicho estava vivo e não era nenhum objeto da decoração.
Ninguém entrava ou saia da loja para criar uma perturbação que fizesse ele se mover. continuava lá imóvel no canto da porta. Deu vontade de atirar uma pedra ou dar um grito, Já estava pensando até mesmo em ir até lá conferir de perto depois que pagasse a conta. Foi quando o danado me surpreendeu: Ele deu um único salto e ficou claro qual era a razão da paralisia.

Ele estava concentrado em alguns pombos que circulavam na calçada bem perto da porta da loja. Esperando que algum deles fosse estupido o suficiente para chegar mais perto, nisso eu concordo com o gato sempre achei que os pombos tinham uma aspecto de idiotas. Pois o plano do bichano deu completamente certo.
Como eu disse, ele deu um único pulo e caiu exatamente em cima do pombo. Tomei um susto tão grande com a ação repentina, que me levantei do banco e derramei um pouco do suco de laranja no balcão.
A luta entre pombo e gato foi rápida, durou um pedaço mínimo de segundo, os dois rolaram pela calçada, o gato com as garras cravadas e o pombo de debatendo espalhando penas para todo lado, até que conseguiu se desvencilhar e saiu voado todo torto. Ele ainda deu um salto no ar para tentar alcança-lo mas não conseguiu. Brincou um pouco coma as penas no chão depois voltou para a porta da loja, sentou e tranquilamente começou a lamber os pelos das patas.

Um funcionário da padaria veio com um pano para limpar o suco derramado.
- Caraca, você viu aquilo? - Perguntei
- O Que?
- O gato quase pegou o pombo.
- Ah... Isso? Todo dia ele tenta, mas nunca pega – Me respondeu com uma voz entediada.

Uma coisa corriqueira para ele e eu achando extraordinário, pensando que estava assistindo ao Discovery Channel ao vivo.

Achei muito legal. O bichinho mantinha os instintos vivos e ativos, talvez ele não precisasse pegar o pombo, não precisava da carne da ave para sobreviver, provavelmente estava com o estomago cheio de whiskas sachê, ou outra ração afrescalhada para gatos. Mas ainda assim caçava. Não era porque estava perfumado e com uma medalhinha ridícula pendurada no pescoço que ia deixar que os pombos ciscassem inocentemente no seu território. Muito abuso, ele era o predador e exigia respeito.
Mesmo todo mimadinho pela dona, (e eu o imagino lá aconchegado no colo dela, bem perto dos seios, quem sabe brincando com as sardas que ela possa vir a ter naquele pedaço de pele. Ou tentando agarrar os fios de cabelo dela) ele não abandona o impeto de caçador, talvez só pela farra, só para mostrar a si mesmo que consegue,ou talvez só porque seja mais forte de que ele e não consiga resistir a sua própria natureza.
O fato é que se um dia ele for abandonado, ou se cansar da boa vida de mordomias, vai saber se virar sozinho caçando pombos e ratos por aí.
O bicho é manso, mas nem tanto.
É... Curti mesmo esse gato.

11 comentários:

  1. Bicho solto esse gato.
    E tem gente que não gosta de bicho...

    ResponderExcluir
  2. Fico imaginando aqui se a civilização felina tivesse evoluído como a humana, o gato teria abaixado o ipod antes de pular no pombo? Teria um interesse por bonobos? Estaria precisando de um porn update pra saber quem é a gostosona do momento?

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Sunflower disse tudo, eu não sou capaz de fazer melhor...

    "nobody does it better then"... her. com todo o respeito, entenda-se.

    tipo assim:
    outro dia, eu tava na Feirinha da praça da Matriz. aí um chato começou a me alugar.
    rebati puxando o saco do cara, pra vê se ele se enchia de mim também.
    um velho safado começou a me olhar esquisito, ao que eu disse: "eu não sou veado não! é que eu gosto de puxar saco, porra!"
    e o velho: "mas veado puxa saco mesmo!"

    ... e isso não foi ficção não.

    =D
    marcos

    ResponderExcluir
  4. Muito conceitual o blog! visitarei mais vezes!

    ResponderExcluir
  5. Insanos: Bicho é legal morto no prato.

    Sunflower: Acho que ele não teria um Ipod.

    Marcos: Repeito é bom e eu gosto. Mas me diz: Que porra de história bizarra é essa ?

    Cristiano: Conceitual?? Apareça quando quiser.

    ResponderExcluir
  6. Mais uma tática brilhante do Marcos. Daquelas do tipo que faz você pensar "ou isso vai dar muito certo, ou vou me foder colossalmente". Mas geralmente só termina em um final confuso.

    "Insanos: Bicho é legal morto no prato." queria ver você falar isso de um certo french bulldog branco com sérios problemas no centro de equilíbrio.

    "Sunflower: Acho que ele não teria um Ipod." acho que ele teria, bom gosto musical é outra história.

    ResponderExcluir
  7. ah, o gato tinha q mostrar pros pombos q ali era dele, aposto como se vc tivesse ficado mais tempo ia perceber a ausência de pombos... ok, tempos depois eles voltariam, mas muito depois e todos com medo. rs
    bjs

    ResponderExcluir
  8. "Insanos: Bicho é legal morto no prato." Pato ao molho branco, Senhor?

    ResponderExcluir
  9. Ah...eu gostei...adoro gatos, e acho que eles tem o instinto que eu tenho.

    mas adorei o blog.
    parabéns!

    ResponderExcluir
  10. Eu viajei muito na sua história, ao traçar um 'paralelo' entre os gatos e outros bichos (ou não) que conhecemos. Esta história de caçar, seja pela farra, seja pelo instinto que grita mais forte... É... risos...
    Ok, sei que ando meio louca. Me desculpe, logo passa! :)
    Boa semana pra você,
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. prefiro os cachorros.
    mas gosto de tudo que é bicho.
    ultimamente até essas cenas de bicho atacando bicho, presa é predador, essas cenas tão me deixando na merda.

    abraço

    ResponderExcluir